sábado, 23 de março de 2013

A mulher e o chocolate


A tese já está comprovada: mulheres são loucas por chocolate. Ao leite, branco, crocante, amargo, maio-amargo, com avelã, trufado, mentolado, com morango, enfim, não importa o tipo, o fato é que amamos o chocolate! Por isso que a Páscoa é tão bem-vinda. O coelhinho que nos perdoe, mas a estrela da Páscoa é mesmo o chocolate!
Muito bem, mas então poderíamos ficar o ano inteiro sem comer um bombonzinho e só desfrutar dessa delícia na época da Páscoa? Óbvio que não. Mulheres querem chocolate quando brigam com o namorado, quando discutem com os pais, quando estão na TPM, quando estão com problemas profissionais, quando querem ser mais felizes, quando querem que o tempo passe mais rápido, quando estão morrendo de ansiedade pra aquela festa, enfim, queremos chocolate na riqueza e na pobreza, na saúde e na doença, até que a morte nos separe.
Hoje a variedade de marcas e sabores é quase infinita, sendo difícil resisitir mesmo. No começo do ano estive em Penedo (de novo) e lá por ter várias fábricas de chocolate (do Papai Noel) com chocolates completamente caseiros e artesanais não resisti e saí com muitas barras pra presente (inclusive pra mim, rs) sem contar no quanto consumi por lá.
E tem como explicar o fascínio que o chocolate exerce sobre uma mulher?? Sim. O chocolate libera uma substância chamada serotonina (hormônio responsável por gerar prazer) e feniletilamina (antidepressivo natural) no organismo (Ok, agora está explicado o porquê muitas mulheres apelam para o chocolate quando estão na TPM); também desencadeia reações no cérebro similares aquelas que ocorrem quando estamos apaixonadas. Um estudo britânico revelou, inclusive, que o chocolate poderia ser até quatro vezes mais prazeroso que um beijo.
Primeira parte (e bem lógica) muito bem explicada. Por isso o chocolate é tido como um grande amigo, objeto de desejo e paixões; acho que muitas vezes ele está ligado ainda ao romantismo devido ao fato de ser dado como presente no dia dos namorados, ou uma forma de dizer que lembrou de quem o recebe, como também por ser levado a boca fazendo com que isso prestem mais atenção na nossa boca. Sensações românticas e sensuais podem ser atribuidas a ele, lembranças da infância, aumento de ânimo, seja qual for o motivo o chocolate é uma das palavras (e desejos) mais repetidos dos desejos da mulher.
Em contrapatida, por ser altamente calórico e pra quem assim como eu vive em luta com a balança ele num segundo deixa de ser amigo e passa a ser um grande inimigo, pois altera nosso humor, nos deixa mais anciosas por ter vontade e ser obrigada a evitá-lo e nos faz lembrar que o corpo por não estar dentro dos "padrões" pode ser (mais ainda) prejudicial. Atire a primeira pedra a mulher que num ato de depressão por compulsão devorou uma caixa de bombons e depois se arrependeu amargamente ao se lembrar das calorias ingeridas.
Mas como conciliá-lo com um corpo em forma?
Uma barra pequena (de 25 a 30 gramas) é a quantidade de chocolate liberada por dia se você não tem problema com a balança. Quem quer emagrecer deve se contentar com menos. A nutricionista Mariana Del Bosco, da Abeso, sugere consumir uma barra pequena quatro vezes por semana ou um bombom (15 gramas, tipo Alpino) por dia. Você também pode reservar no cardápio semanal 500 calorias para a guloseima (o equivalente a 1 barra de 100 gramas) e distribui-las como preferir. Quanto mais fracionar os pedaços menos calorias ingeridas.
De todos os chocolates, o amargo é considerado o melhor. Ele concentra uma quantidade surpreendente de fenólicos – antioxidantes que reforçam a imunidade e protegem o coração, além de levantar o humor. Outro ponto forte é o sabor intenso, que permanece por mais tempo na boca – por isso é mais fácil você ficar satisfeita com a porção recomendada de 30 gramas. Mas, para funcionar, escolha uma barra com mais de 40% de cacau e de boa qualidade.
As versões dietéticas são um perigo a parte: apesar de não ter açúcar, normalmente tem mais gorduras e calorias que a tradicional. E isso não é bom para quem deseja transformar o chocolate num aliado da dieta.
Barrinha de cereais com cobertura de chocolate conseguem muitas vezes saciar a minha vontade de chocolate sem pesar nas calorias. É claro que não é a mesma coisa, mas servem de antidoto a caixa de bombons.
Agora que você entendeu as origens desse seu amor nada platônico pelo chocolate, abra seu coração nessa Páscoa e diga: sim, eu aceito (com moderação). E que sejam felizes para sempre!

2 comentários:

Viviane Lisauskas disse...

Perfeito adorei as dicas tudo muito bem explicado!

Patricia disse...

Toda mulher ama chocolate